MEU PRESENTE PARA VOCÊ


O que é Páscoa?



Que legal quando chega a Semana Santa!

Feriado na escola, reunião com a família e amigos, ovos de páscoa...

Mas qual será o verdadeiro sentido da Páscoa?

Hoje você vai descobrir muitas coisas interessantes sobre a Páscoa.


O verdadeiro sentido da páscoa

Muitos cristãos não sabem qual é o verdadeiro sentido da Páscoa.

Muita gente ainda pensa que Páscoa é apenas um feriado

muito legal no qual ganhamos muitos ovos de chocolate.

Os costumes e as tradições que são ensinados de geração

em geração nos impedem, muitas vezes, de conhecer o verdadeiro sentido da Páscoa.

As propagandas na televisão, os cartazes, as brincadeiras de procurar

ovinhos de chocolate que o coelhinho escondeu,

tudo isso nos faz esquecer o verdadeiro sentido da Páscoa.

Como tudo começou?

Para a gente entender melhor como começou a Páscoa,

precisamos voltar um tempo na história – precisamente

1.500 anos antes de Jesus Cristo nascer.

Nesta época os judeus eram escravos no Egito.

Lá eles trabalhavam duro, e foram maltratados por 430 anos.

Deus, então, enviou Moisés para livrar o seu povo da escravidão,

para que pudessem conhecê-lo e adorá-lo.

Mas Faraó, o Rei do Egito, não queria libertar o povo de Deus.

O Senhor, então enviou, dez sinais do seu poder

para que Faraó libertasse o seu povo:

Photobucket

1) Fez o rio Nilo se transformar em sangue.

Todos os peixes morreram e o cheiro ficou terrível.

2) Rãs invadiram as casas dos egípcios.

3) Os egípcios e os animais ficaram cobertos de piolhos.

4) Deus mandou milhões de moscas para todo o Egito.

5) Os animais morreram.

6) Feridas cheias de pus cobriam a pele dos homens e dos animais.

7) Uma forte chuva de pedras acabou com tudo que

estava no campo, incluindo as pessoas e os animais.

8) Uma nuvem de gafanhotos comeu todas as plantas

e frutos que sobraram depois da chuva de pedras.

9) Durante três dias houve uma grande escuridão,

e somente os egípcios ficaram no escuro.

Mas mesmo assim, o coração de Faraó ficou tão duro

que não deixava o povo ir.

Então Deus disse que mandaria o último sinal:

10) Deus mandou que cada família do povo de Israel

matasse um cordeiro macho, sem defeitos, e passasse o

sangue desse cordeiro nos umbrais da porta de sua casa,

quando Deus visse o sangue, ninguém morreria ali, mas

nas portas dos egípcios não havia o sangue.

Então o anjo da morte levaria o primogênito (filho mais velho) de cada

família egípcia, desde o filho do Faraó até o filho do servo

mais humilde, e também todo primogênito dos animais (Ex 12.7).

Depois deste sinal, o povo de Israel foi liberto da escravidão.

Por causa desse grande livramento a Páscoa passou a ser

comemorada como a noite que Deus poupou Israel,

salvando suas crianças e libertando a todos.

(Essa história toda está em Êxodo a partir do capítulo 7 ao 12)

Por que comemoramos a páscoa hoje?

A Páscoa que comemoramos hoje é a maior de

todas as festas cristãs, maior até do que o Natal!

Jesus veio aqui na Terra e nos ensinou a amar,

a viver, a pensar, a servir... Ele veio para nos reconciliar

com Deus e nos libertar da morte e do pecado.

Mas para que tivéssemos direito a esta herança, Jesus teve que morrer.

Ele foi humilhado, maltratado e morreu como um cordeiro.

Depois ele ressuscitou no terceiro dia, e hoje ele vive! Deus

enviou seu filho unigênito (único), sem defeitos.

Jesus é como aquele cordeiro da Páscoa dos hebreus.

Todos os que aceitam seu sacrifício são libertos da

escravidão do pecado e da morte, assim como os Hebreus

foram libertos pelo sangue dos cordeiros passado nas portas.

Jesus e o cordeiro da páscoa.

Vamos ver agora comparações que mostram que o que Jesus

fez por todos nós foi como o que Deus fez para os

judeus através daquele cordeiro morto na Páscoa:

1) Deus pediu para os homens que separassem um cordeiro

para ser sacrificado, ou seja, morto.

Da mesma forma, Jesus é o cordeiro de Deus (João 1.29).

Ele é a nossa Páscoa (1 Coríntios 5.7).

2) Em Êxodo 12.5 diz que o cordeiro tinha que ser sem defeito, lembra-se?

Pois é, Jesus cumpriu esta exigência

(1 Pedro 1.18 e 19)

3) O cordeiro da Páscoa tinha que ser escolhido e separado

dos outros cordeiros quatro dias antes da Páscoa (Êxodo 12.3-6).

Jesus Cristo chegou em Jerusalém quatro dias antes da comemoração

da Páscoa e morreu no mesmo dia do sacrifico do cordeiro.

4) O cordeiro precisava ser imolado por toda a população

(Êx 12.6) Jesus Cristo também foi sacrificado pelos líderes civis

e religiosos de Israel e de Roma,

e pela vontade de todo o povo que estava reunido lá .

5) Nenhum osso do cordeiro poderia ser quebrado (Êxodo 12.46).

Em João 19.33 e 36 fala que quando Jesus já estava morto

na cruz ninguém quebrou nenhum osso dele, pois era

costume quebrar os ossos de quem havia morrido na cruz.

6) Em Hebraico, Páscoa quer dizer passagem. Para o povo

de Israel foi a passagem da escravidão para a liberdade; para nós,

Páscoa é a celebração que marca a passagem da morte para a vida.

7) Jesus se ofereceu para ser sacrificado.

Ele não foi tomado de surpresa.

Ele escolheu morrer por nós.

Quando João Batista – um profeta de Deus –

viu Jesus pela primeira vez, disse:

"Eis o cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo!"


Então, como ficam os ovos de chocolate e os coelhinhos nesta história?

Os ovos de páscoa

Bem, há muito tempo o ovo era considerado símbolo de vida.

Era costume, em todo mundo, presentear as pessoas com

ovos de galinha, ganso ou codorna.

Esses ovos eram pintados à mão, com cores

bem vivas e alegres. Uma bela obra de arte!

Os primeiros cristãos a usar os ovos coloridos foram os

Mesopotâmios, para comemorar a alegria da ressurreição.

Para as antigas civilizações Maia e Asteca,

o chocolate era considerado sagrado.

Ele tinha tanto valor, que os Astecas usavam o chocolate como moeda.

Antigamente, o chocolate era servido apenas como bebida.

As pessoas se sentiam muito bem com ela, porque as deixava com mais força e energia.

Era uma bebida sofisticada servida apenas para os governantes e os soldados.

Os bombons e os ovos de Páscoa foram criados no século XX.

Você pode comer os ovos,só que eles são "ovos de chocolate"

e não "ovos de páscoa".


Os coelhinhos


Existem algumas lendas que explicam como o coelho

passou a ser símbolo da páscoa, mas o que todos dizem é

que o coelho representa a fertilidade,

pois os coelhos geram muitos filhotes.

Os coelhos são lindos,mas não têm nada a ver com a verdade.

Os símbolos da páscoa para os cristãos


O cordeiro, que simboliza Cristo, sacrificado em favor da humanidade.

O pão e o vinho, simbolizando o corpo

e o sangue de Jesus, oferecido aos seus discípulos.

Ervas amargas, representam a escravidão.

Serviam para lembrar o povo judeu como era ruim a

escravidão no Egito, e hoje nos lembram como é ruim

a nossa vida como escravos do pecado.

Algumas ervas amargas:

o almeirão, rúcula, alface romana, hortelã, chicória e agrião.


Conclusão


Então podemos entender porque tanto engano, e tantas coisas

para distrair as pessoas do verdadeiro sentido da Páscoa.

É porque satanás, o inimigo de Deus, não quer que as

pessoas saibam sobre Jesus para serem salvas!

Por isso, juntos, nós temos que contar a verdade sobre

a Páscoa para as outras pessoas, para que elas possam

conhecer Jesus Cristo, o cordeiro de Deus.

Vamos comemorar a Páscoa juntos?

É muito divertido e emocionante comemorar a páscoa como os Judeus!

Sugestão:

1) No dia da Páscoa, faça algum tipo de carne assada.

Já que a carne de cordeiro é um pouco cara, faça de boi mesmo!

2) Providencie pães sírios para substituir os pães asmos (sem fermento).

Os pães sírios são encontrados em alguns supermercados

ou padarias e em casas especializadas em produtos árabe.

3) Arranje ervas amargas.

Faça uma salada de almeirão, por exemplo.

4) Para beber, faça suco de uva.

E o último ingrediente (e o mais importante):

toda a família deve estar reunida!

Chame todos para comerem juntos ,como Deus ordenou ao povo judeu.

Enquanto estiverem comendo lembrem-se do que representa cada prato:

- A carne assada:

A importância de obedecer a tudo o que Deus nos ordena

- Pão asmo:

o nosso Senhor Jesus, que morreu por nós sem nenhum pecado.

- O suco (ou o vinho):

representa o sangue que Jesus derramou na cruz para nos salvar da morte.

- As ervas amargas:

nos fazem lembrar como é ruim nossa vida sem Jesus.

Antes de começar a ceia, lembrem destes símbolos e façam

uma oração agradecendo pelo sacrifício de Jesus por nós!



A NOSSA FESTA DA PÁSCOA ESTÁ PRONTA,

AGORA QUE CRISTO, O NOSSO CORDEIRO DA PÁSCOA,

JÁ FOI SACRIFICADO. (1Co 5.7)

MEUS PRESENTES

OBRIGADA A TODOS OS MEUS AMIGOS



Esta página é parte integrante do blog "Manancial de amor" de Niese Tocafundo

click na figura de ovos para voltar ao blog